Compartilhe:

ALIMENTAÇÃO NA QUARENTENA

Cuidados com higiene e armazenamento de alimentos

Colaboração :

Marina Smania Pilotto

Nutricionista | CRN3 41514

marina.smania@gmail.com

 

Antes de iniciar o conteúdo, é bom lembrar do que estamos falando. Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de toque do aperto de mão, contato com secreções e com objetos ou superfícies contaminadas. Este é o caso de alimentos e suas embalagens. O vírus não se multiplica em alimentos. Mas um alimento não higienizado pode carregar o vírus e, assim, transmiti-lo às pessoas.

Importante! Lave as mãos com frequência, usando água e sabão. Esfregue as palmas, dorso, pontas dos dedos, embaixo das unhas e também os punhos.

Referência: Ministério da Saúde

 

HIGIENE DAS COMPRAS

“Quando compramos frutas, legumes ou verduras, é melhor lavar antes de armazenar ou na hora de consumir? Deixa as frutas, legumes e verduras em recipientes abertos ou fechados?”

“As verduras quem vêm nos sacos, preciso tirar para armazenar? Todas as frutas e legumes precisam ir para a geladeira?”

“Qual a melhor forma de higienizar os alimentos que compramos no supermercado, é necessário usar álcool 70% nos saquinhos e ao desensacar limpar todos os pacotes um a um com o álcool 70%?”

Considerando que estamos em período de pandemia, é importante ter cuidados redobrados com a higienização de alimentos e embalagens. Lavar ou higienizar os produtos embalados antes de usar é fundamental, pois evita a contaminação do alimento que está sendo preparado.

Ao trazer compras para dentro de casa, antes de guardar, faça o seguinte:

Para alimentos com embalagens (caixas, pacotes, latas, vidros, etc.):

Opção 1: lavar a embalagem com água e detergente.

Opção 2: fazer a higienização externa com álcool 70% ou solução sanitária diluída (confira a diluição indicada na embalagem da água sanitária).

Sempre que possível, já transfira o alimento para os potes que você tem em casa. Lembre-se de anotar as datas de validade.

 

Dicas da Personal Organizer para organização de despensa

Nas minhas organizações tenho observado que na despensa é o local onde mais se joga coisas fora.

Quando vou fazer a organização de uma despensa, retiro os mantimentos das embalagens e coloco em potes herméticos com etiquetas com o nome do conteúdo pois algumas farinhas são muito parecidas e isso pode confundir na hora de pegar, outra coisa que nunca devemos esquecer é colocar a data de vencimento do produto.  Você pode fazer de duas formas ou fazendo uma etiqueta nova ou recortando da própria embalagem e colando com uma fita adesiva no fundo do pote.

 

Sobre as sacolas plásticas: caso você queira reutilizá-los como embalagens para lixo, sim, higienize com álcool 70% ou solução de hipoclorito de sódio. Se achar que isso não é viável na sua rotina, considere fazer mais uso de sacolas retornáveis. Neste caso, lembre-se de fazer a higienização delas também, do mesmo modo.

Outra opção é guardar as sacolas plásticas em local específico e, após usá-las para colocar no recipiente de lixo, imediatamente higienizar as mãos.

Lembre-se que o vírus pode sobreviver até três dias em superfícies de plástico.

Referência: Kampf et al., 2020.

 

 

 

 

Para frutas, verduras e legumes frescos:

Retire frutas, verduras e legumes das embalagens dos centros de abastecimento.

Alimentos menos resistentes, que precisam ir para a geladeira: higienize antes. Depois, armazene em potes fechados ou sacos próprios para refrigeração.

Alimentos mais resistentes, que podem ficar na fruteira: higiene apenas antes do consumo.

Veja como fazer a higienização na imagem a seguir:

Referência: Ministério da Saúde

 

“Como higienizar os ovos? Eu coloco em água com desinfetante para hortifrutícolas e me falaram que a casca do ovo é porosa e absorve. Isso é verdade?”

Retire os ovos das embalagens dos centros de abastecimento e armazene em recipientes com tampa, sob refrigeração. Lave os ovos apenas ANTES de consumir.

Por quê? A lavagem dos ovos ajuda sim a eliminar microrganismos da casca. Porém, esse procedimento pode causar danos na casca, que é muito porosa. Assim, a casca fica mais permeável, e pode ocorrer a entrada de microrganismos e produtos químicos. Quando os ovos são lavados apenas instantes antes de serem consumidos, reduzimos esses dois riscos.

Referência: Associação Brasileira de Nutrição

 

ORGANIZAÇÃO DA GELADEIRA

“E como organizar a geladeira (aonde vão frutas, carne cozida, etc.)?”

Prateleiras superiores (mais frias) para alimentos que precisam de mais refrigeração, como leite, iogurte, queijos e carnes.

Prateleiras do meio para ovos, sucos, saladas prontas, bolos e alimentos preparados (observação: consumir em 2 a 3 dias).

Prateleiras inferiores ou gavetão para frutas, verduras e legumes crus.

Porta para alimentos menos perecíveis, como bebidas, geleias, condimentos, conservas e água.

Referência: Agência Nacional de Vigilância Sanitária

 

Dicas da Personal Organizer

Dar preferência para os potes transparentes, pois assim você consegue ver o que tem dentro, guardar coisas quentes em potes de vidro e coisas frias em potes plásticos, pois nem todos os potes plásticos são livres do BPA (Bisfenol A) substância que quando exposta a altas temperaturas libera uma toxina que pode desencadear várias doenças ao ser humano. Então se for armazenar em plástico observe que deve ter escrito: BPA FREE.

Outra dica é fazer uma cestinha com itens do café da manhã, isso facilita, você pega só a cesta com tudo dentro e não perde tempo procurando na geladeira.  Organização é facilidade e praticidade e facilidade é vida.

E para terminar essa parte da geladeira vou dar uma dica para conservar por mais tempo e mais crocantes na geladeira. Você lava as folhas normalmente eu costumo secar na centrifuga, mas se você não tiver aí na sua casa é só deixar num escorredor para retirar o excesso de água. Depois disso guardar em um recipiente fazendo camadas, papel toalha, folhas, papel toalha e folhas até o final, termine com o papel toalha. Faça aí na sua casa e depois me conta.

 

 

ARMAZENAMENTO E NUTRIENTES

“Como congelar sem perder os nutrientes: couve, brócolis (cozinho antes de congelar ou congelo só picado), abobrinha picada, berinjela picada?”

No caso das frutas, é simples: basta higienizá-las corretamente (conforme explicado acima) e armazená-las já picadas e em recipiente adequado. Ficam ótimas para uso em preparações futuras, como sucos, vitaminas e sobremesas.

Para legumes e verduras, usar o método do branqueamento.

O branqueamento é uma técnica de conservação de legumes e folhas, que consiste em colocá-los em água fervente por alguns minutos (dependendo da consistência do alimento, pode ser um pouco mais de tempo) e depois mergulhá-los imediatamente na água bem fria, pelo mesmo período (assim, o cozimento é interrompido). Em seguida, armazenar em potes adequados e congelar.

Esta técnica é interessante, pois ao transformar a água presente nos alimentos em gelo, dificulta o crescimento de bactérias e diminui reações químicas que causam a deterioração. Outros benefícios são: evitar o desperdício e preservar a cor, sabor e o valor nutricional dos alimentos.

 

Passo a passo:

  1. Faça a higienização das verduras/legumes;
  2. Corte da forma em que serão consumidos. Procure cortar em pedaços uniformes para depois branquear por igual;
  3. Mergulhe os alimentos em uma panela com água fervente (fogo alto e panela tampada);
  4. Com o auxílio de uma peneira ou escumadeira, recolha os alimentos da fervura, colocando-os em outro recipiente rapidamente, com água e gelo. A água gelada interromperá o cozimento rapidamente;
  5. Acondicione legumes ou verduras em potes herméticos ou em sacos plásticos próprios para alimentos, preenchendo até a borda;
  6. Etiquetar os recipientes e congelar.

 

Referência: Associação Brasileira de Nutrição

 

 

 

“Fazer o tempero caseiro com cebolas, alho e sal perde nutrientes?”

Existe uma perda muito pequena e pouco relevante. Lembre-se de manter em geladeira e consumir em até três dias para evitar a deterioração e contaminação do tempero.

“No caso de alimentos preparados em casa, por exemplo, arroz e feijão como posso congelar e por quanto tempo?”

“Como conservar uma marmitinha congelada?”

No caso do arroz e feijão, por exemplo, faça o preparo normalmente e distribua em potes de acordo com as porções consumidas habitualmente e espere esfriar. Anote ou etiquete com o nome da preparação e data do preparo. Consuma em até 10 dias.

Este é o mesmo caso para as marmitas congeladas. Faça a montagem da refeição de preferência em potes de vidro o que possam ir ao micro-ondas, identifique a preparação e a data do preparo. Consuma em até 10 dias.

Importante! Para descongelar, deixe o alimento/preparação na geladeira até o momento de consumir. Porções menores de alimentos podem ser descongeladas diretamente na panela (fogão) ou no micro-ondas. Nunca descongele alimentos em temperatura ambiente, pois isso aumenta o risco de contaminação por bactérias e outros micro-organismos.

Confira na imagem a seguir o tempo de armazenamento dos alimentos, de acordo com o local de armazenamento.

Referência: Ministério da Saúde
Referências:
Ministério da Saúde:
https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#o-que-e-covid Acesso em 30/04/2020.
https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/das-prateleiras-a-mesa-guia-pratico-de-como-manusear-e-utilizar-os-alimentos-de-forma-adequada Acesso em 30/04/2020.
https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/qual-o-papel-de-uma-alimentacao-adequada-e-saudavel-durante-a-pandemia-de-covid Acesso em 30/04/2020.
Associação Brasileira de Nutrição:
Guia para uma alimentação saudável em tempos de COVID-19 https://www.asbran.org.br/storage/downloads/files/2020/04/guia-alimentar-covid-19.pdf Acesso em 30/04/2020.
Agência Nacional de Vigilância Sanitária:
Guia de Alimentos e Vigilância Sanitária – ANVISA (2009). http://portal.anvisa.gov.br/resultado-de-busca?p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_assetEntryId=395967&_101_type=document Acesso em 30/04/2020.
Kampf G, Todt D, Pfaender S, Steinmann E. Persistence of coronaviruses on inanimate surfaces and their inactivation with biocidal agents. J. Hosp. Infect. 2020 Feb;104:246-51. Doi 10.1016/j.jhin.2020.01.022

Compartilhe: